Minha memoria anda péssima…e aí, o que fazer?

 

A dificuldade em relação à memoria recente é  uma queixa prevalente principalmente no universo feminino. Alguns neurologistas se referem à “sindrome desatencional”,cada vez mais presente no dia a dia. Pouco tempo, muito a fazer,nós nos reconhecemos como indivíduos “multitarefas” …a desatenção aumenta porque você tem que dar conta (ao mesmo tempo) de um sem numero de detalhes diários!

O deficit de atenção (minimo quando é apenas uma característica da pessoa,quando não causa maiores transtornos no dia a dia; ou quando se identifica como “síndrome neuropsiquiátrica e requer tratamento químico ou apenas terapia cognitivo-comportamental) e a ansiedade podem a longo prazo levar à disfunção cognitiva mais preocupante uma vez que o “desgaste” de neurotransmissores cerebrais se dá mais rapidamente nesses casos.

Por isso a preocupação hoje não apenas com o “slow food” em relação à alimentação (para termos uma nutrição mais adequada às nossas necessidades diárias de manutenção da homeostase)…mas também com o “low profile”. Temos que desacelerar. Somente assim poderemos garantir qualidade no envelhecimento (do corpo e do cérebro).

Outra estrategia fundamental para o físico (eliminando as epidemias de obesidade e diabetes mellitus) e para a mente (lentificando o deficit cognitivo e recuperando a memoria recente) é a atividade física diária (exercicio aerobico -caminhada “rápida” ou “jogging” 4 a 5 vezes na semana). Outra é a alimentação funcional: a curcuma (açafrão) é um potente anti-inflamatório natural e tem sido citado com frequência em estudos sobre perda de memoria (estrategia que vem sendo estimulada em casos de declínio cognitivo leve como o do Alzheimer inicial).Poderíamos passar a fazer molhos para salada com açafrão e não comemos pelos menos durante a semana o arroz “amarelo” -no final de semana poderíamos nos dar o luxo de comida mais atraente para o paladar brasileiro. Que tal a sugestão?

Molho diário (básico) para salada: azeite extra-virgem, meio limão (ou vinagre para quem gosta mais e pode usá-lo),cúrcuma, pimenta preta (para potencializar a absorção da cúrcuma), e ingredientes opcionais e a gosto como: coentro,noz moscada,cominho,tomilho,salsa (outro excelente nutriente, que contém o mais eficiente antioxidante para o olho e para o organismo como um todo,que é o glutation!)

Até hoje não são conhecidos efeitos colaterais no uso alimentar da cúrcuma (não falo do uso de capsulas de cúrcuma  tão em moda (e por isso tão caras!),que contem doses bastante elevadas da substancia curcumina…com possíveis efeitos colaterais na multiplicação celular (câncer).

Tudo na natureza está em equilíbrio (ou deveria …antes do homem modificar).

A nutrição funcional (uso de alimentos contendo substancia presentes naturalmente na natureza) nos permite melhorar o que deve ser melhorado (uma vez que as necessidades mudam de tempos em tempos pela forma diferente de viver a vida), sem necessariamente causar danos mais tarde. Equilíbrio, homeostase é o que devemos buscar.

A Hipócrates é atribuída a frase: “deixa que o alimento seja o seu remédio”

 

 

Encontrei um site, entre vários, que fala “en passant” sobre a dificuldade diária de todos nós neste século

 

Oficina da memória

“Atualmente a rotina diária das pessoas costuma ser bem agitada. Fazemos tudo correndo: estudo, vestibular, trabalho, casa, filhos, academia…ate as crianças tem muitos compromissos! Com tanta correria nossa saúde mental fica de lado e passamos a cometer alguns esquecimentos e confusões que pioram nosso rendimento em geral, na escola, no trabalho ou na nossa vida pessoal.

Para isso o CAEPE criou a oficina Memória Viva. Nas sessões serão realizadas atividades diversas e dinâmicas que estimulam a atenção, concentração, percepção, memória, expressão verbal, raciocínio lógico, estimulação visual e espacial, proporcionando uma melhora acentuada nas capacidades de cada indivíduo”.

O site “gogglado” foi:

 

http://www.caepe.com​.br/servico/cursos-e​-oficinas#oficina

 

Mas existem várias oficinas de memória (pagas e gratuitas) para incentivar a criação de técnicas de “treinamento da memoria” .

Hoje não percebemos a necessidade delas (ah! basta colocar avisos na geladeira, anotar no “tablet”,cronometrar atividades…etc).

 

Mas se fizermos apenas isso, a longo prazo não iremos mudar muita coisa.

É como a capsula ou droga na alopatia. Na emergência ou no adoecimento ela funciona bem. Pode salvar vidas.Mas não tem diminuído a prevalência das doenças cronicas degenerativas, uma vez que não trata a causa do sintoma e sim o sintoma pontual.

 

Vamos pensar nisso!

 

Vamos pensar em promoção de saúde e em prevenção.

A Medicina eficaz a longo prazo é a Medicina da saúde e não a Medicina da Doença.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s